sábado, outubro 06, 2012

A Diversão do Monge


Um camponês, indo à taverna encontra-se com um monge e fala:
 Eu acho louvável a vida de um monge, mas às vezes eu penso que deve ser muito difícil viver no mosteiro sem nenhuma diversão.
 Diga-me então como faço para me divertir.
 Não basta dizer. Seria bom se o senhor pudesse me acompanhar, mas creio que não conseguirá entrar num ambiente impuro de uma taverna.
 Não se preocupe, eu o acompanharei.
Os dois foram então á taverna. Ao entrar, houve um constrangimento geral. O monge sentou-se no lugar onde o campones indicou, numa mesa com varios de seus amigos. O monge, percebendo o constrangimento, disse:
 Façam de conta que não estou aqui.
Pouco a pouco, as conversas começaram e logo o ambiente voltou à sua normalidade. Todos bebendo, rindo e conversando. O monge começou então participar das conversas, rir das piadas, mesmo das que faziam referencias aos monges e sua vida frugal do monastéiro. Por fim ele mesmo contou algumas anedotas de monges.
Ao término da noite, o  camponês, a caminho de casa, falou:
 Monge, o senhor me surpreendeu. Não pensei que soubesse como se divertir.
 No templo eu oro, na taverna eu me divirto.
— Não é isto que faz o homem comum?
— Então, o homem comum é um monge.
Alvaro 2005

Postar um comentário