sexta-feira, setembro 28, 2012

Queda d'água

Água que desce
Como Lágrima que entristece
Marcando-lhe a face
Sem que ninguém lhe abrace

Gota de água
de mágoa
de um ferimento sem dolo
de dor sem consolo

Rio eterno
De sentimento interno
Agora exposto
Com lágrimas no rosto



Poema: Alvaro 2005




Estudo número 1 de Villa Lobos
Ana Vidovic ao violão
Postar um comentário